A Globo esconde Sérgio Moro


Você teria dúvidas do trabalho sujo e destruidor, covarde, inconsequente, que ameaça a nossa demarcaria, a quebra da soberania, que promove a entrega das riquesas, o desmonte do Estado de Direito, da indústria nacional, da indústria de óleo e gás, naval, da construção Civil, da engenharia nacional etc, e tudo isso praticado pelo grupo Globo de comunicação? 

Acredito que não, não tem como ficar indiferente com o que está acontecendo no Brasil diante de tantos interesses escusos envolvidos. Produziram e patrocinaram o golpe de 2016, que depôs a Presidenta Dilma Roussef por pedalada fiscal com o aval do Congresso Nacional em nome de Deus, da família e dos bons costumes, validando esse presidente negacionista da ciência, que não tem respeito pela vida, nenhum pouco patriota, não tem contemplação pelo seu país, só pelos seus e amigos, um mar de asseclas ao seu seu entorno.

Ontem a TV Globo, em seu programa de domingo “Fantástico”,  mostrou qual será, e sempre foi, o seu posicionamento. Desmontar o Estado brasileiro mais uma vez em nome do império norte americano em consórcio com a sanha do capital. Em uma reportagem de 15 min jogou toda a culpa no PT e no Lula em nome da moral e da ética. O grande lance é destruir seus desafetos na política e nas organizações que venham a fazer o contraponto ao seu projeto de poder. Esse projeto desenvolvido pelo grupo Marinho, Sérgio Moro, Deltan Dallagnol e força tarefa da lava jato em nome da corrupção generalizada no Brasil que supostamente só existiu na “era PT”.  
Reportagem na íntegra: https://youtu.be/rxS1FUFlEU8

A recompensa após os planos naufragarem com seu pseudo projeto político – Sérgio Moro. 

Em sua coluna na Revista Crusoé, o ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, escreveu que “você não precisa ser juiz, ministro ou presidente para fazer a coisa certa”. Ele se referia ao novo trabalho na empresa de consultoria norte-americana Alvarez & Marsal que, dentre seus clientes, tem a Odebrecht. 

A circunstância causou críticas de bolsonaristas, estranhamento de alguns e teorias de conspiração na esquerda: Moro teria condenado os líderes da gigante da construção civil em 2016 para, anos depois, oferecer seus serviços para recuperar a imagem da empresa. Outra explicação: sem cargo público, Moro precisou arranjar trabalho e usou sua experiência de combate à corrupção para operar medidas de compliance (adaptação das normas de integridade corporativa).

Explicações do ex-juiz

“Minha ida para o setor privado representa a continuidade da luta pela integridade, agora para ajudar as empresas a fazer a coisa certa. Ouvi nos últimos dias algumas críticas precipitadas. Algumas surpreendentemente vieram até mesmo de pessoas suspeitas de terem recebido suborno ou que nada fizeram contra o sistema de corrupção revelado pela Lava Jato”, apontou Moro no artigo. Pontuou ainda: “não há conflito de interesse, pois não atuarei em casos envolvendo empresas da Lava Jato. Mesmo sendo desnecessário, pois jamais ultrapassaria a linha ética, isso está explicitado no meu contrato (com a Alvarez & Marsal)”.

A disputa no Brasil é contra você, trabalhador, trabalhadora, pequenos e médios empresários, movimentos sociais, sindicatos, organizações que defendem um país para todos com inclusão social e renda, saúde, educação e dignidade, na defesa do bem comum e liberdades. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s