Uma ilha de fake news no governo Bolsonaro

Lewandowski, Ministro do STF, pediu adiamento do processo para melhor analisar os novos fatos que envolvem o escândalo das não assinaturas dos pesquisadores.

No último sábado (12), um grupo de pesquisadores divulgaram uma nota conjunta revelando que não foram consultados sobre o plano de imunização contra a Covid-19 apresentado pelo Governo Federal. O documento teria assinatura dos cientistas sem o devido conhecimento dos mesmos para o processo que existe em tramitação no STF para analisar a regularidade do plano de vacinação contra a COVID-19. 

A nota, que foi assinada por 36 pesquisadores, revela que parte dos pesquisadores do plano não tiveram acesso ao material e que o mesmo não obteve a anuência dos integrantes do grupo.

De acordo com os cientistas, eles tinham solicitado uma reunião para debater o plano, além de terem “manifestado preocupação pela retirada de grupos prioritários e pela não inclusão de todas as vacinas disponíveis que se mostrarem seguras e eficazes”.

O grupo reiterou a recomendação técnica para que todas as populações vulneráveis, inclusive a carcerária, sejam prioridade de vacinação. Eles também pediram a ampliação dos grupos prioritários abrangendo todos os trabalhadores da educação e de áreas essenciais.

Nas redes sociais, o não reconhecimento do plano também foi denunciado pela professora da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) e epidemiologista, Ethel Maciel, que foi intitulada como colaboradora do plano.

“Nós, pesquisadores que estamos assessorando o governo no Plano Nacional de Vacinação da Covid-19, acabamos de saber pela imprensa que o governo enviou um plano no qual constam nossos nomes e nós não vimos o documento”, escreveu Ethel no Twitter. Ela destacou: “É algo que nos meus 25 anos de pesquisadora nunca tinha vivido!”.

Precisamos de algo mais para caracterizar que esse governo em sua maioria sobrevive em uma ilha de fantasia… não, em uma plataforma de fake news desde de sua origem?

Leia a íntegra a decisão que estabelece a divulgação do plano de vacinação.

Com a apresentação dos dados, Lewandowski pediu ao presidente da Corte, ministro Luiz Fux, que retire de pauta o julgamento da ação que está previsto para quinta-feira (17). O ministro quer mais tempo para examinar o cronograma.

Veja as declarações da Ethel Maciel 

Epidemiologista e pesquisadora da CNPq e professora da UFES 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s